#229e00

#0d4f00

Suspeito de matar mulher e limpar arma usada no crime em Bíblia é preso na Paraíba.

Suspeito de matar mulher e limpar arma usada no crime em Bíblia é preso na Paraíba.

Segundo a Polícia Civil, Paulo Neto Gonçalves Duarte, de 34 anos, confessou o crime. Ele foi preso em flagrante e aguarda audiência de custódia.

Paulo Neto Gonçalves Duarte, suspeito de matar Juliete Alves da Silva, de 32 anos, com golpes de facão no bairro do José Pinheiro, em Campina Grande, foi preso no fim da noite desta sexta-feira (26). Segundo a Polícia Civil, ele foi localizado em um terreno baldio no distrito de Santa Terezinha, em Campina Grande, Agreste da Paraíba.

Segundo a delegada Elizabeth Beckman, da Polícia Civil, o homem confessou o crime no momento da prisão. Ele relatou que estava desconfiando de traição por parte da esposa, pois ela havia mudado o comportamento há alguns meses.

Na madrugada da sexta-feira (26), ele teria voltado a questionar a esposa sobre a possível traição e ela teria negado mais uma vez. Foi quando ele se dirigiu a um banheiro onde guardava ferramentas de jardinagem, pegou um facão e desferiu vários golpes em Juliete Alves da Silva.

“Ele afirma que já trazia uma raiva dentro de si e naquele momento, diante da negativa dela, ele levantou-se da cama onde o casal estava, seguiu até um banheiro, pegou o facão utilizado no crime e passou a golpeá-la. Ele disse que no momento não conseguia pensar, mas logo em seguida se arrependeu”, disse a delegada Elizabeth Beckman.

Ainda segundo a Polícia Civil, o homem confirmou ter pedido a filha da mulher, de 13 anos, para chamar a vizinha e informá-la sobre o crime. Depois disso, ele teria ido ao trabalho, trocado de roupa e se dirigido ao distrito de Santa Terezinha, onde foi localizado pela polícia.

“Ele assume que estava dando esse tempo para pensar, se arrepender, para poder se entregar à polícia”, disse a delegada.

Na casa onde Paulo morava com Juliete Alves e seis crianças, a Polícia Civil encontrou várias Bíblias manchadas de sangue após o crime. A delegada Elizabeth Beckman disse que o suspeito teria limpado a arma utilizada para matar a companheira em uma Bíblia.

Paulo Neto Gonçalves Duarte, de 34 anos, foi autuado em flagrante pela morte de Juliete Alves e deve passar por audiência de custódia.

Por g1 PB