#229e00

#0d4f00

Mais brasileiros pretendem comprar na Black Friday, diz pesquisa do Google

A maioria dos brasileiros pretende comprar na Black Friday deste ano, segundo pesquisa do Google e do Instituto Ipsos. Hoje, o percentual é 71%, um crescimento de 16 pontos percentuais em relação ao ano passado.

O levantamento foi divulgado nesta quinta-feira (29) durante o evento Black Friday Connections Store, em São Paulo.

Nas classes A e B, a intenção de compra é 78%. Na classe C, é 68%, 17 pontos percentuais acima de 2021.

Os motivos apontados são a proximidade da Copa do Mundo e o maior otimismo depois de duas Black Fridays sob a pandemia.

Segundo a FGV (Fundação Getulio Vargas), a confiança dos consumidores brasileiros teve nova alta em setembro.

O ICC (Índice de Confiança do Consumidor) subiu 5,4 pontos no mês, chegando a 89 pontos, o maior nível desde janeiro de 2020.

“Temos visto que a confiança na Black Friday tem aumentado. Agora, o consumidor sabe o que é um desconto de Black Friday e quer um bom produto”, disse Gleidys Salvanha, diretora de negócios para Varejo do Google Brasil.

Neste ano, 60% dos consumidores acreditam que os descontos serão mais atrativos, diz a pesquisa.

Contudo, menos da metade, 46%, dizem que vão gastar mais, mesmo que 88% acreditem que sua situação financeira vai melhorar até o fim do ano.

Os consumidores também devem comprar em cinco categorias de produtos na data. Em 2021, a média era de 4,2 categorias por cliente.

As categorias mais visadas são Roupas e Acessórios (47%), Livros e Itens de Papelaria (43%) e Calçados (38%). Celulares (36%) e Eletroportáteis (33%) aparecem na sequência.

Neste ano, a pesquisa também registrou um crescimento de pessoas de classe C que declararam que com certeza vão comprar na Black Friday. O resultado mostra uma alta de 9 pontos percentuais, para 22%.

Durante o evento, que contou com a participação de Luiza Trajano e do presidente do Google Brasil, Fábio Coelho, a empresa anunciou produtos para o varejo e o recurso Promoções, que será integrado ao Google Shopping.

Folha Press