#229e00

#0d4f00

Com afta, jovem descobre varíola dos macacos: “Dor como cacos de vidro no lábio”

Com afta, jovem descobre varíola dos macacos: “Dor como cacos de vidro no lábio”

Advogado João Pinheiro, de 31 anos, morador da cidade de São Paulo, usou as redes sociais nesta terça-feira (16) para compartilhar um caso inusitado: ele confundiu sintomas da varíola dos macacos com uma afta.

Usando sua conta do Twitter, João relatou o ocorrido e disse que não sabe como pegou a doença. A postagem foi curtida por mais de 73 mil usuários e teve 12,5 retuítes. À CNN, ele disse que a ferida surgiu dia 5 de agosto, enquanto estava em uma viagem a Malta, na Europa.

“Comecei sentindo um cansaço/fadiga — que achei que era devido aos 45°C que ‘tava’ fazendo onde eu estava”, escreveu.

“Então surgiu uma afta. Só que essa afta não melhorava, só aumentava e eu comecei a sentir os gânglios do meu pescoço incharem”, continuou no Twitter.

Ele foi internado na segunda-feira (15) e disse que, desde então, “a qualidade de vida melhorou 1000%”.
O tratamento envolveu analgésico e anti-inflamatório.

O vírus monkeypox causa a doença com sintomas semelhantes à varíola comum, mas menos graves. Na maioria dos casos, ela é autolimitada, com sinais e sintomas que duram de duas a quatro semanas.

O período de incubação, fase em que a pessoa não apresenta sintomas, dura em média de 6 a 13 dias, mas pode chegar a 21 dias.

No quadro clínico típico da doença, as lesões na pele formam bolhas em diversas partes do corpo. Contudo, os sintomas causados pela monkeypox no surto atual têm variado bastante de uma pessoa para outra.

No caso de João, ele conta que, logo após perceber a ferida na boca, outros sintomas apareceram.

“Na sequência tive uma febre moderada, dores nas articulações e a ‘afta’ da boca só aumentava. Fiz o teste e, por coincidência, assim que saiu o resultado começaram a surgir novas lesões”, escreveu.

*Com informações de Lucas Rocha, da CNN